Óleo de Palma – Utilização

1) Alimentação Humana

A principal aplicação do óleo de palma e seus produtos está na área de comestíveis:

  • Margarina

  • Gorduras para panificação, biscoitos, massas e tortas

  • Pó para sorvetes

  • Shortenings (gordura vegetal)

  • Óleo de cozinha

  • Substituto da manteiga de cacau

O óleo de palma tem elevado índice de vitaminas “A” e “E”. Ainda na indústria alimentícia, oferece uma característica que o torna imbatível: trata-se de produto natural, isento de processos químicos como a extração por solvente e a condenada hidrogenação para a produção de gorduras vegetais. O refino do óleo de palma é físico, ao contrário de todos os outros óleos vegetais e sua gordura é obtida por fracionamento também físico e não por hidrogenação. Tais aspectos fizeram com que a União Européia se tornasse o segundo maior importador de óleo de palma do mundo. O primeiro é a China. É importante ressaltar que o óleo de palma, assim como os demais óleos vegetais, não contém colesterol.

2) Alimentos para Animais

  • As rações balanceadas, utilizadas nas alimentações animais podem conter uma composição mesclada com torta de palmiste de dendê, como também óleo de dendê, integral ou na sua fração líquida, a oleína.

  • Objetivando crescimento e produtividade, é essencial determinada quantidade de metabolizantes, bem como vitaminas, na fabricação dos compostos alimentares especializados para animais, tais como gado bovino, carneiros, suínos, caprinos, aves, etc. O conteúdo calórico de 9 Kcal/g do óleo de palma, o dobro do que proporcionam tanto as proteínas como os carboidratos, é uma excelente fonte na composição das rações animais.

3) Aplicações não comestíveis

  • Ácidos Graxos: os ácidos graxos comerciais derivam quase que inteiramente de gorduras naturais. Constituem matéria-prima abundante e servem de base para toda indústria óleo-química. A estearina e o óleo de palmiste são frações igualmente ricas em ácidos graxos e ácido láurico. Sua produção vem crescendo e superando o sebo e óleo de côco atualmente, que eram fontes tradicionais disponíveis no mercado para produção de ácidos graxos

  • Esteres Metálicos: constituem o segundo maior volume de produtos óleo-químicos após os ácidos graxos. Apresentam grandes aplicações de álcoois graxos, alcalonamidas, antibióticos e antiespumantes

  • Sabões: o óleo de palma, a estearina de palma e seus ácidos graxos podem substituir parcial ou totalmente o sebo, dependendo do tipo e qualidade do sabão desejado

  • Velas: originalmente, as velas se faziam de sebo ou de cera de abelhas. Atualmente são feitas de misturas de parafina e ácido esteárico ou “estearina”. O ácido esteárico comercial para fabricação de velas é na verdade uma mescla de ácido palmítico e ácido esteárico. O óleo de palma é uma importante fonte destes ácidos.

  • Lubrificantes: as máquinas para alimentos requerem lubrificantes com uma característica apropriada. A oleína de palma, o óleo de palma e a estearina de palma são atualmente indicados para a fabricação de graxas lubrificantes pois proporcionam: boa adesão às superfícies metálicas, amplitude de resistência, alto ponto de fusão sem fragilidade e alta resistência à oxidação. As graxas minerais nunca devem ser utilizadas nas fábricas de alimentos por seus produtos tóxicos

  • Laminação de Aço: em todo o mundo as indústrias de aço utilizam grandes quantidades de óleo de palma durante o processo de laminação a frio do aço, cuja finalidade é lubrificar e proteger a superfície da corrosão

  • Biocombustível, substituindo o óleo diesel

4) Outras Utilizações

  • Proteção de tanques de armazenagem e tubos contra intempéries

  • Na fabricação de folhas de estanho, para reduzir perdas térmicas e proteção contra a oxidação do estanho

  • Na fabricação de azeites têxteis. Alguns óleos glicerídios se usam como auxiliares na indústria têxtil para fabricar as fibras

  • Plásticos: recentes investigações têm mostrado que o óleo de palma epoxidado é usado como plastificante e estabilizante para plásticos como o PVC

  • Na fabricação de shampoo e condicionadores de cabelos

  • Na fabricação de amaciante de roupas

  • Na fabricação de giz

  • Na fabricação de tintas

  • Na fabricação de detergentes

  • Na fabricação de emulsificante

  • Na fabricação de resinas